Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

O Alienista- Machado de Assis

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Alienista- Machado de Assis

Mensagem por Gabi em Seg 27 Abr 2009 - 16:21



    Antes de ler o livro

    Identificação do Livro

    1.1. Título
    O Alienista
    1.2. Autor(a)


    Machado de Assis
    1.3. Editora


    Ática
    1.4. Data da Edição


    1881


    2. Escolha do livro

    2.1. Motivos que levaram à escolha do livro


    Os motivos que levaram à escolha do livro foram, o título por ser forte e atraente.

    Muitas pessoas diziam que o livro “O Alienista”, é muito interessante, com tantas

    opiniões nos estimulou a ler. Além de Machado de Assis ser um ótimo autor.


    Após a leitura do livro


    3. Contextualização do Autor

    3.1. Alguns dados biográficos


    1839- Joaquim Maria Machado de Assis nasce no Rio de Janeiro, 21 de junho.

    1855- Publica seu primeiro trabalho, a poesia “A Palmeira”, na Marmota Fluminense.

    1858- Começa intensa colaboração em vários jornais e revistas que, com algumas interrupções breves, manterá pela vida toda.

    1864- Publica seu primeiro livro: Crisálidas (poesias).

    1867- É nomeado para o cargo de ajudante do diretor do Diário Oficial.

    1869- Casa-se com Carolina Augusta Xavier de Novais.

    1873- É nomeado primeiro oficial da Secretária do Estado do Ministério da Agricultura,

    Comércio e Obras Públicas.

    1878/9- Passa uma temporada em Friburgo, por motivo de doença.

    1897- É eleito presidente da Academia Brasileira de Letras, fundada no ano anterior.

    1904- Membro correspondente da Academia das Ciências, de Lisboa. Morre sua mulher,

    Carolina.

    1908- Licença para tratamento de saúde (junho). Falece no Rio de Janeiro, a 29 de setembro.
    3.2. Outras Obras do(a) Autor(a)


    Poesia- Crisálidas(1864); Falenas (1870); Americanas (1875); Poesias completas (incluindo Oci[b]dentais) (1901).[/b]

    Romance- Ressurreição (1872); A mão e a luva (1874); Dom Casmurro (1899); Esaú e

    Jacó (1904); Memorial de Aires (1908).

    Conto- Contos fluminenses (1870); Histórias da meia-noite (1873); Relíquias de casa velha (1906).

    Teatro- Queda que as mulheres têm para os tolos (1861); Os deuses de casaca (1865);

    Teatro coligido (incluindo Não consultes médico e Lição de botânica) (1910).

    Algumas obras póstumas- Crítica (1910); Casa Velha (1944); Crônicas de Lélio (1958).

    4. Conteúdo do Livro

    4.1. Gênero Literário


    O gênero literário deste livro é suspense.
    4.2. Assunto (breve síntese)


    O Doutor Simão Bacamarte, cientista de nomeada, monta, em Itaguaí, um hospício, a casa

    verde, onde pretende executar seus projetos científicos. Pretende separar o reino da lou-

    cura do reino do perfeito juízo, mas a confusão em que ambas se misturam acaba aborre-

    cendo o Doutor, que, para levar a efeito a seleção dos loucos, tem que saber o que é a nor-

    malidade. Assim, qualquer desvio do que era o comportamento médio, a aparência pública,

    qualquer movimento interior, que diferisse da norma da maioria era objeto de internação.

    O hospício é a Casa do Poder, e Machado de Assis sabia disso muito antes da antipsiquia-

    tria de Lacan e das teses de Foucould. No início, o projeto do Dr. Simão Bacamarte é bem

    recebido pela população de Itaguaí, mas a aprovação cessa quando o médico passa a

    recolher na Casa Verde, pessoas em cuja loucura a população não acredita. O barbeiro

    Porfírio lidera uma rebelião contra o hospício que é sufocada. Numa primeira etapa, são

    internados os que, embora manifestassem hábitos ou atitudes discutíveis, eram tolerados

    pela sociedade: os politicamente volúveis, os sem opiniões próprias, os mentirosos, os falas-

    trões, os poetas que viviam escrevendo versos empolados, os vaidosos, etc. Para pasmo geral dos habitantes de Itaguaí, Simão Bacamarte, um dia , solta todos os recolhidos no

    hospício e adota critérios inversos para a caracterização da loucura: os loucos agora são

    os leais, os justos, os honestos etc. A terapêutica para esses casos de loucura consistia em

    fazer desaparecer de seus pacientes as “virtudes”, o que o Dr. Simão Bacamarte consegue

    com certa facilidade. Declara curados todos os loucos, solta-os todos e, reconhecendo-se

    como o único louco irremediável, o médico tranca-se na Casa Verde, onde morre alguns meses depois.


    4.3. Citações favoritas (se necessário, explicadas no contexto)


    (...)

    - A questão é cientifica, dizia ele; trata-se de uma doutrina nova, cujo primeiro exemplo

    sou eu. Reúno em mim mesmo a teoria e a prática.

    - Simão! Simão! Meu amor! Dizia-lhe a esposa com o rosto lavado em lágrimas.

    Mas o ilustre médico, com os olhos acesos da convicção cientifica, trancou os ouvidos à

    saudade da mulher, e brandamente a repeliu. Fechada a porta da Casa Verde, entregou-se

    ao estudo e à cura de si mesmo estado em que entrou, sem ter podido alcançar nada...”
    4.4. Opinião sobre o livro


    Foi uma leitura tranquila, o livro é muito interessante de se ler, uma história fantástica,

    onde no final ele descobre que ele é o louco, gostamos muito desta obra de Machado de

    Assis.

Gabi
Rabisco
Rabisco

Número de Mensagens : 4
Idade : 25
Localização : Brasil
Data de inscrição : 14/03/2009
Pontos : 3219

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Alienista- Machado de Assis

Mensagem por alexandre(hiro) em Ter 28 Abr 2009 - 19:39

Parabéns...

Por ser a primeira apresentação, está faltando algumas coisas importantes...

Sua nota é 13 (6.5)
avatar
alexandre(hiro)
"Best Seller"


Número de Mensagens : 496
Idade : 26
Localização : Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 5581

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum