Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

A escrava Isaura: Bernardo Guirmarães

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A escrava Isaura: Bernardo Guirmarães

Mensagem por Aline Akumi em Qui 2 Jul 2009 - 17:27

Antes de ler o livro

1) Identificação do livro
1.1 Título: A escrava Isaura
1.2 Autor: Bernardo Guimarães
1.3 Editora: Ática
1.4 Data de edição: 1988

2) Escolha do Livro
2.1 Motivos que levaram à escolha do Livro
É pelo fato da irmã da Aline ter contado um pouco sobre a história e já havia feito um teatro, e achamos esse Romance bem interessante.
Por outro lado também, é pela falta de opções, consideramos um bom livro.


Última edição por Aline Akumi em Qui 2 Jul 2009 - 17:57, editado 1 vez(es)

Aline Akumi
Letra
Letra

Número de Mensagens : 6
Idade : 25
Localização : Sp- Brasil
Data de inscrição : 21/04/2009
Pontos : 3042

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A escrava Isaura: Bernardo Guirmarães

Mensagem por Aline Akumi em Qui 2 Jul 2009 - 17:55

Após a leitura do Livro

3) Contextualização do autor
3.1 Alguns dados biográficos
Bernardo Joaquim da Silva Guimarães nasceu em Ouro Preto, em 1825. Formou-se em Direito em São Paulo, onde foi, com Álvares de Azevedo, fundador da Sociedade Epicuréia. Foi juiz em Catalão, Goiás jornalista, no Rio professor no Liceu Mineiro de sua cidade natal, onde morreu, em 1884. É considerado o fundador do regionalismo brasileiro. Retrata o uso e os costumes dos sertanejos.
Conhecido do interior mineiro e goiano, colheu nesta área, matéria para muitas de suas obras, algumas das quais publicadas postumamente.
O Seminarista, a Escrava Isaura são obras mais lidas e mais editadas do autor. Em razão talvez da temática do celibato clerical e da escravidão. A escrava Isaura já foi chamada de “A cabana do Pai Tomás Nacional”.

3.2 Outras obras do autor
Contos da Solidão (1852)- poesia
Lenda e romance (1871)
O garimpeiro (1872)
Lendas e tradições da Província de Minas Gerais (1872), sendo que sob este título se agrupam: A filha do fazendeiro e o Seminarista.
O índio Afonso (1873)
Maurício (1877)
O bandido do Rio das Mortes (1904)
A voz do pajé (1814)

4) Conteúdo do Livro
4.1 Gênero Literário
Romance narrado em 3º pessoa.

4.2 Assunto breve síntese
A margem do Paraíba a poucas distancias da Vila de Campos havia uma linda e magnífica fazenda onde foi criada Isaura, que era filha de uma mulata que fora mucama favorita, e criada fiel da esposa do comendador.
Mas a mulata não durou por muito tempo pois o comendador que era um homem de coração frio, que sujeitou-a tão rudes trabalhos e tão cruel tratamento, o que levou-a morte.
Isaura então foi criada pela esposa do comendador, que jurou que iria cuidar de Isaura como se fosse sua filha, mas por outro lado seu filho Leôncio que era obcecado por Isaura, nem após a morte de sua mãe quis dar liberdade a ela, e mesmo casado com Malvina queria ter Isaura, que era apaixonada por Afonso;
Durante muito tempo Isaura, agüentou as pressões que Leôncio fazia, enquanto isso seu pai lutava pra conseguir a liberdade dela, só que Leôncio não queria dar.
Com o falecimento do comendador, Leôncio passou a governa a fazenda, e como Malvina havia lhe abandonado. Leôncio queria Isaura como sua esposa, só que Isaura se recusa, pois ela nunca trairia sua senhora que sempre fora como amiga.
Álvaro então se apaixona por Isaura, e decide ajudá-la a conseguir sua carta de aforria para então ficarem juntos. Como Leôncio se via na necessidade de reconciliar com Malvina, ele decide realizar o casamento do Belchior com Isaura, assim lhe daria liberdade.
No dia do casamento, de repente Álvaro aparece com provas para libertar Isaura das garras de Leôncio.
Assim Álvaro comprando-lhe todos os bens inclusive as escravas e desmascarando o vilão que acabará na ruína.
Depois disso nada mais o separo de Isaura a quem ofereceu a mão de esposo, mas Leôncio jura nunca ter prazer de vê se implorar da generosidade de Álvaro e acaba-se suicidando, rebentando o crânio com um tiro de pistola.

4.3 Citações Favoritas
“D. Elvira- lhe disse com voz greve e comovida, se a senhora é um anjo em sua casa, nos salões do baile é uma deusa. O meu coração há muito lhe pertence; sinto que o meu destino de hoje em diante depende só da senhora. Funesta ou propícia, a senhora será sempre a minha estrela nos caminhos da vida. Creio que me conhece bastante para acreditar na sinceridade de minhas palavras. Sou Senhor de uma fortuna considerável; tenho posição honrosa e respeitável na sociedade, mas não poderia jamais ser feliz, se a Senhora não consentir em particular comigo esses bens, que a fortuna prodigalizou.”

Momento em que Álvaro faz uma declaração de amor pra Isaura

4.4 Opinião do Livro

Gostamos muito do livro. O livro é fácil de se entender, existe várias partes que acontece momentos emocionante e quase em todas tem a participação de Isaura.

Aline Akumi e Flávia

Aline Akumi
Letra
Letra

Número de Mensagens : 6
Idade : 25
Localização : Sp- Brasil
Data de inscrição : 21/04/2009
Pontos : 3042

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A escrava Isaura: Bernardo Guirmarães

Mensagem por alexandre(hiro) em Sab 4 Jul 2009 - 23:25

parabéns...
Sua nota é 12 (6.0)
avatar
alexandre(hiro)
"Best Seller"


Número de Mensagens : 496
Idade : 26
Localização : Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 5439

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A escrava Isaura: Bernardo Guirmarães

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum