Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

A normalista -ADOLFO CAMINHA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A normalista -ADOLFO CAMINHA

Mensagem por Neia em Ter 29 Set 2009 - 13:53

Antes de ler o livro




1. Identificação do Livro

1.1. Título:

A Normalista



1.2. Autor (a):

Adolfo Ferreira Caminha


1.3. Editora:

Ática


1.4. Data da Edição:

1997


2. Escolha do livro

2.1. Motivos que levaram à escolha do livro
O Motivo que me levou a escolher o livro foi que na contra capa do livro que esta escrito assim:''A estudante Maria Do Carmo sente um calor estranho percorrer seu corpo...''.É fique curiosa para desvendar esse mistério da estudante.

Após a leitura do livro


3. Contextualização do Autor

3.1. Alguns dados biográficos.

Adolf Ferreira Caminha nasceu em Aracati, no Ceará, a 29 de Maio de 1867, filho de Raymundo Ferreira dos Santos e Maria Firmina Caminha, ao cinco anos de idade perdeu sua mãe e se muda para Fortaleza.No ano de 1883 muda para o Rio De Janeiro para a casa de seu tio, onde se matricula na Escola Naval, da qual saiu como guarda-marinha em 1885, um ano depois como guarda-marinha, viaja pelas Antilhas e pelos Estados Unidos e durante essa viagem tem um diário de anotações que ressaltara no livro No País dos Ianques. Em 1888 se envolveu numa grande escândalo por te unido á esposa de um oficial do Exército, e foi punido e pede demissão da Armada ; no ano de 1890 foi nomeado do tesouro em Fortaleza.Transferido para o Rio De Janeiro no ano de 1892 dedicou-se ao jornalismo, á critica literária e a literatura.Faleceu no Rio De Janeiro no dia primeiro de Janeiro de 1897, atacado de Tuberculose.

3.2. Outras Obras do (a) Autor(a)
ROMANCES:

Bom-Crioulo (1895);

Tentação (1896).

VIAGEM:

No País dos Ianques (1894).

CRÍTICA LITERÁRIA:

Cartas Literárias (1895)


4. Conteúdo do Livro

4.1. Gênero Literário.

Romance


4.2. Assunto:

João Maciel Da Mata Gadelha, mais conhecido como João da mata habitava há anos na rua de trilhos juntamente com sua esposa D.Teresinha e sua afilhada Maria do Carmo,com a seca em campo alegre onde a família de Maria morava o pai decide que fosse melhor era morar com o seu padrinho ,a mãe de Maria não estava boa de saúde com problemas no coração e alguns dias depois acaba morrendo .João da mata gostava de aos domingos jogar vísporas com a sua família e amigos mais próximos.Nesta noite de domingo estavam reunidos em torno de uma mesa as pessoas de costumes, o Zuza, Maria do Carmo, loureiro guarda-livros, Dr.Mendes, a Lídia Campelo.

A grande paixão de João da mata era a sua afilhada Maria do Carmo, quando Maria voltava da escola Normal, João mandava Maria do Carmo sentar na rede juntamente com João, começava a fazer carinhos por toda a sua face.O Zuza sempre ia aos domingos na casa de João da mata jogar vísporas, era o ultimo a sair olhando embebido de ternura para Maria do Carmo, João da mata começou a desconfiar da presença de Zuza enquanto a lídia e o loureiro estavam noivos.

O João da mata começou a se sentir ciúmes de Maria com o Zuza, Maria se casando com o Zuza não poderia, mas fazer carícias na sua afilhada, e ficou contra o namoro como o Coronel Sousa Nunes o pai de Zuza, para ele um futuro bacharel não poderia ser casar com uma normalista, mesmo assim, Maria e Zuza se comunicavam através de cartas, se encontravam na escola Normal.

O casamento de João e D. Teresinha não estava bem estava o João da mata dormindo na sala e D.Teresinha no quarto sem se falar um com o outro, Maria tentava conversar com a sua madrinha, mas não tinha resposta de D.Teresinha, então Maria do Carmo queria se casar com o Zuza assim não ficaria naquela casa.Um tarde o Zuza convidou Maria do Carmo para sair juntamente com a Lídia e o Loureiro para um barzinho que tinha na cidade onde moças e rapazes se encontravam, nesta noite a Maria do Carmo bebeu um pouco de cerveja e ficou com dor de cabeça e voltou para casa, chegando em casa o seu padrinho ainda estava acordada esperando a sua afilhada perguntou onde ela estava e com quem; Maria disse que estava com a sua amiga conversando e subiu direto para o seu quarto, sem tirar a roupa deitou a rede e dormiu, João da mata ficou muito chateado.Alguns dias depois o Zuza viajou para Fortaleza.

E chegou o dia do casamento da lídia com o guarda-livros que foi realizado no Benfica, porém Maria não estava animada com o casamento de sua amiga, pois estava sem o seu amor, e no pensamento ficando para titia, pois naquele tempo as moças se casavam cedo; o casamento terminou e os convidados se retiraram ficando só os noivos.Quando Maria chegou em casa foi diretamente para o seu quarto com ar de tristeza, logo, mas o seu padrinho se dirigiu para o quarto da afilhada, quando Maria ouviu na porta do seu quarto àquela hora ficou assustada e perguntou quem era, João da mata respondeu e pedindo para Maria abrir a porta, pois queria falar com ela; Maria então abriu a porta e se deitou na rede se cobrindo com lençol, João começou a falar de mal de Zuza que não ra rapaz para ela, Maria não disse sequer uma palavra ficou com muda, então João da mata deitou do lado de Maria e colocou o braço de atrás do pescoço de Maria e deu um beijo na boca de Maria, e tiveram uma relação.

Maria do Carmo passou uma semana inteira sem sair de casa, faltando à aula e sem pôr os pés para fora, o seu padrinho ficou preocupado e perguntou a criada se Maria estava doente, então a criada foi correndo ao quarto de Maria levando medicamentos e algo para ela comer, pois nem comendo estava, João ficou preocupado e foi conversar com a sua afilhada, mas, Maria disse que esta só com dor de cabeça, mas ia passar.Passando dias a Lídia mandou um bilhete dizendo para Maria ir-lhe visitar na sua casa nova no Benfica, Maria então decidiu visitar a sua amiga, quando as duas estavam sentadas no sofá, a Lídia disse para Maria que estava grávida e Maria perguntou como ela sabia que estava grávida então lídia pegou um livro que explicava a gravidez e Maria descobriu que também estava grávida de seu padrinho ,chegando em casa pensou em se matar ,fazer aborto pois quando a população descobrisse seria um escândalo ,chegando em casa chamou o seu padrinho e disse que estava esperando um filho dele, João ficou muito assustado e pensou logo em um lugar para Maria pois já estava de quatro meses , um lugar que tivesse esse filho para a sociedade não descobrisse.

João da mata conhecia um casal que morava no Cocó que ficava longe da cidade se Maria ficasse lá ninguém iria descobrir que estava grávida, em um domingo Maria se mudou para o Cocó .Nisso as pessoas da cidade sentiram falta de Maria e começaram a se perguntar onde estava a moça, sem nem uma resposta.Uma tarde João da mata estava em um bar, bebendo muito pelo acontecido então o Zé do gato começou a perguntar de sua afilhada, João nada de responder, depois de algumas horas João da mata conta para o Zé do gato a onde estava Maria e o porque que ela estava lá, o Zé do gato ficou muito assustado e disse para o João que não ia contar nada a ninguém, mas não foi isso que aconteceu no outro dia estava no jornal da cidade o que tinha acontecido com Maria do Carmo.

É nesse mesmo dia Maria estava se sentindo contrações e o mestre Cosme foi chamar o João da mata, ficaram todos nervosos até que a criança nasceu, e pouco minutos depois a criança morreu.Passando alguns dias Maria retorna para a rua de trilho, as pessoas tinham se esquecido e estavam preocupados com a morte do presidente, Maria voltou a estudar e estava noiva do Alferes Coutinho, da polícia , via diante de um futuro . .

4.3. Citações favoritas:

-Umas das cartas que Zuza mandou para Maria Do Carmo que esta escrita assim: ''Minha Senhora'‘, dizia o futuro, bacharel muito respeitoso.Tomo a liberdade de me dirigir a V.EX. cofiada na sau infinita bondade, nessa bondade que se revela em seus esplêndidos olhos de madona e na brandura meiga de sua voz cujo timbre faz-me lembrar toda melodia de uma harpa eólia tangida por mãos de serafins...Tomo esta liberdade para dizer-lhe simplesmente que a amo!E que este amor só podia ser inspirando pela incomparável luz de seu olhar e pela música sentimental de sua voz...Amo-a deveras.Só me reta esperar que V.EX. aceite este amor como tributo sincero de um coração avassalado por sua beleza encantadora, e então serei o mais feliz dos homens. De V.EX. adm. E escravo José De Sousa Nunes'' (foi um dos momentos do livro que se emociona quando o Zuza declara o seu amor por Maria Do Carmo através de uma carta )

-''Sobre uma grande caixa de pinho, a um canto do quarto, envolvido em panos, o recém-nascido-uma criança nutrida e robusta-dormia o sono eterno, roxo, de olhos fechados, as gordas mãozinhas cruzadas sobre o peito, com um fio de sangue a escorrer-lhe do nariz''

4.4. Opinião sobre o livro:
O livro tem algumas palavras que não está sendo usadas, mas no rodapé do livro tem seus significados como, por exemplo, vísporas que é o bingo na atualidade, fácil de se entender, aborda assuntos da atualidade como à pedofilia, de uma pessoa da auto-sociedade ter uma relação com uma pessoa da classe inferior dizendo que estão juntos por causa do dinheiro . CLAUDINÉIA E KARINA ( 3° bimestre)
avatar
Neia
Palavra
Palavra

Número de Mensagens : 19
Idade : 25
Localização : Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Data de inscrição : 10/03/2009
Pontos : 3092

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A normalista -ADOLFO CAMINHA

Mensagem por alexandre(hiro) em Dom 4 Out 2009 - 10:34

Sua apresentação está muito bom...
Acho apenas que a opinião sobre o livro ficou a desejar um pouco...
Parabéns e a sua nota é 16 (8.0)
avatar
alexandre(hiro)
"Best Seller"


Número de Mensagens : 496
Idade : 26
Localização : Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 5434

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum