Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

“O dia em que te esqueci”, Margarida Rebelo Pinto

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

“O dia em que te esqueci”, Margarida Rebelo Pinto

Mensagem por neide em Seg 26 Abr 2010 - 16:48



1. Identificação do Livro

1.1. Título

“O dia em que te esqueci”

1.2. Autor

Margarida Rebelo Pinto

1.3. Editora

Oficina do livro

1.4. Data da Edição


Novembro de 2009





2. Escolha do livro

2.1. Motivos que levaram à escolha do livro

O principal motivo pelo qual li este livro foi mesmo a autora, Margarida Rebelo Pinto. Já escreveu alguns livros e é uma autora conhecida, pelo menos aos meus ouvidos… mas nunca li nenhum livro seu, porque os seus títulos parecem-me um tanto lamexas, ou nunca me chamaram demasiado a atenção, ainda assim tinha curiosidade em conhecer a sua forma de escrever.

Mais uma vez estava eu numa livraria e vi inúmeros livros de Margarida Rebelo Pinto, desta vez estava decidida a ler um livro seu. Acabei por escolher este por causa do título e do excerto que se encontra na contracapa, foi o que mais me chamou a atenção. Pensei que o livro me iria recordar alguns momentos pelo qual todos passamos.



3. Contextualização do Autor
3.1. Alguns dados biográficos


Margarida Rebelo Pinto nasceu em Lisboa em 1965.

Desde cedo demonstrou gosto pela escrita, sendo assim licenciou-se assim em Línguas e Literaturas Modernas na Universidade Clássica.

Após uma passagem como copywriter, pelo mundo da publicidade, dedicou-se ao jornalismo passando por publicações como o “Diário de Notícias”.
Foi repórter do Canal R.T.P. 1, tornou-se também cronista regular da Elle.


Em 1999 editou o primeiro romance, e com esse ganhou o prémio literário Fnac 1999.

Dedicou-se também ao cinema, sendo a autora do telefilme da SIC "Um passeio no parque".




3.2. Outras Obras do Autor
1999 - Sei lá
1999 - Herman superstar (Biografia de Herman José)
2000 - Não há coincidências
2000 - As crónicas da Margarida
2002 - Alma de pássaro
2002 - Artista de circo
2003 - I'm in love with a Pop Star
2004 - Nazarenas e matrioskas
2005 - Pessoas como nós
2006 - Vou contar-te um segredo
2007 - A rapariga que perdeu o coração
2008 - Gugui, o dragão azul
2008 - Português Suave
2008 - Onde reside o Amor

4. Conteúdo do Livro
4.1. Género Literário
Romance

4.2. Assunto
Este livro é uma carta de amor, mais precisamente uma carta de despedida dirigida a um grande amor.
Ao longo do livro a autora faz um resumo do que foi a sua vida após ter conhecido um homem que muito amou mas por quem também muito sofreu.

Margarida vai descrevendo os momentos mais marcantes dessa sua relação, as separações e aproximações entre ambos, os sentimentos que a perturbavam, a vontade de lutar por este amor.
Neste livro fala também daquilo que muitas pessoas fazem, a procura de um novo amor para esquecer o antigo, mas uma das conclusões a que chegamos com este livro é que não se pode amar alguém quando o coração ainda está ocupado e principalmente não se pode forçar a situação, percebemos também que não vale a pena pensar que temos de esquecer, por vezes pensamos assim mas não temos vontade, coragem de o fazer. Mas, no fim, percebemos que realmente o ideal é quando com naturalidade aparece um novo amor, e esse curará as “feridas” que ainda restavam.
No livro Margarida Rebelo Pinto fala de todas estas fases por que passa, e porque muitos passamos para esquecer alguém que amamos mas que não sente o mesmo, ou neste caso, não tem coragem para o admitir.


4.3. Citações favoritas

“é exactamente daqueles que mais nos amam que saltam as críticas mais duras. São eles que nos conhecem que esperam sempre o melhor de nós, quanto mais não seja pelo amor que nos têm.”

“se há coisas que nunca se agarram, o amor é uma delas. Sempre que tentas correr atrás dele, brinca com a tua dor (…) com vida própria, que não vale a pena tentar domesticar ou fingir ignorar.”

“fui eu que deixei que me fizesses mal e sei melhor do que ninguem que nunca me quizeste magoar.”

“tantas vezes atrás do tempo, embora sempre a tempo, porque vamos sempre a tempo desde que saibamos aceitar e aprender. A vida espera por nós, só a morte é que nunca espera.”

“um grande amor pode apagar todas as fronteiras, derrubar todos os muros e construir uma nova ordem natural das coisas.”

“Aqueles que merecem as tuas lágrimas são os que nunca te fariam chorar.”

“Amar é sonhar, é proteger, é dar a mão quando é preciso e soltá-la quando assim tem de ser. Por mais que nos custe.”

“É preciso encontrar lugar para o amor na nossa vida, é preciso dar-lhe espaço e tempo, é preciso ser humilde e corajoso, não ter medo de investir, e arriscar, mesmo sem nunca saber o que o futuro nos reserva.”



4.4. Opinião sobre o livro


No geral gostei do livro, não se perde nada em lê-lo, pelo contrário. Acho que aprendemos sempre algo com os outros, e este livro representa mais uma experiência com a qual podemos aprender.

Não sei se acontece em todos os livros desta autora mas pelo menos neste, Margarida Rebelo Pinto usa palavras muito sábias, que nos deixam realmente a pensar, a pensar até de maneira que nunca nos atrevemos a penar. Gostei muito disso na autora, atrevesse a contradizer o habitual.

Realmente gosto do assunto do livro, no que toca a assuntos de amor há sempre algo em comum, podemos revernos um pouco neste livro, muito também devido a simplicidade, a forma com a autora fala de mesmo tudo.

No entando este livro não me prendeu muito a leitura, não provocava aquela curiosidade de sabermos o que vai acontecer a seguir.





Referencias Biográficas:


3.1.

http://margarida.clix.pt/margarida_bio.php

http://pt.wikipedia.org/wiki/Margarida_Rebelo_Pinto


3.2.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Margarida_Rebelo_Pinto

neide
Ditongo
Ditongo

Número de Mensagens : 12
Idade : 23
Localização : setúbal
Data de inscrição : 03/01/2009
Pontos : 3297

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: “O dia em que te esqueci”, Margarida Rebelo Pinto

Mensagem por Filipe Azevedo em Seg 17 Maio 2010 - 1:59

Muito bem, Neide.
Trabalho muito personalizado!

18 valores

Spoiler:
Falha nalguns erros de escrita. Como exemplo, no 4.2. Assunto, na penúltima linha "porque" deve ser "por que" (não é uma relação de causalidade mas de relatividade - "pelas quais", referindo-se ao antecedente "fases"). Compreendido?

_________________
www.vertentes.pt.vu
avatar
Filipe Azevedo
Professor

Número de Mensagens : 1229
Idade : 56
Localização : Portugal
Data de inscrição : 09/09/2006
Pontos : 15907

Folha de personagem
Guardião secular: Pérgamo

http://www.vertentes.pt.vu/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum