Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

Eurico, o Presbítero de Alexandre Herculano

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Eurico, o Presbítero de Alexandre Herculano

Mensagem por Paulon em Sex 23 Nov 2007 - 13:41






1. Identificação do Livro

1.1. Título
Eurico , o Presbítero
1.2. Autor(a)

Alexandre Herculano
1.3. Editora

Martin Claret
1.4. Data da Edição
2002
2. Escolha do livro

2.1. Motivos que levaram à escolha do livro



Escolhemos esse livro pela capa, a história parecia ser bem interessante. Fato comprovado após a nossa leitura.

3. Contextualização do Autor


3.1. Alguns dados biográficos

Alexandre Herculano nasceu em 1810 em Lisboa, de família modesta, não pôde fazer estudos universitários, então contornou como autodidata. Aos 21 anos interrompeu a suas atividades para envolver-se na revolta militar, horrorizado pelos absolutistas. Exilou-se em Agosto 1831, fugindo da perseguição dos absolutistas. No ano seguinte participou na expedição liberalista à Ilha Terceira como voluntário, e foi um dos 7500 homens de D. Pedro IV a desembarcar no Mindelo para a ocupação do Porto (juntamente com Garrett).
Durante sete anos, foi diretor da Panorama, revista de caráter artístico e científico na qual publicou varias de suas obras. Dedicou-se seriamente à atividade de historiador, pesquisando e coletando documentos por todo o país. Teceu conflitos ideológicos com o clero porque se negou a admitir como verdade histórica o chamado “Milagre de Ourique” – segundo o qual Cristo aparecera ao rei Afonso Henriques naquela batalha. Sua desilusão com a vida pública foi aumentando gradualmente, o que o fez recusar títulos e nomeações e ocupar-se da agricultura em sua propriedade em Vale de Lobos, próximo a Santarém. Mesmo retirado, gozou de grande prestigio até o fim da vida.


Estudou Latim, Lógica e Retórica no Palácio das Necessidades e, mais tarde, na Academia da Marinha Real, estudou matemática com a intenção de seguir uma carreira comercial. Descontente com o governo de Miguel I de Portugal, exilou-se na França, onde escreveu os seus melhores poemas. Voltou a Portugal, em 1832, continuou a fazer poesia, como A Voz do Profeta em 1836 e A Harpa do Crente em 1838. No jornal Panorama por volta de 1840; publicou obras de ficção, como Eurico, o Presbítero de 1844, e ganhou fama como historiador; publicou A História de Portugal, em quatro volumes, e História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal.

Herculano foi o responsável pela introdução e pelo desenvolvimento da narrativa histórica em Portugal.
Juntamente com Almeida Garrett, é considerado o introdutor do Romantismo em Portugal, desenvolvendo os temas da incompatibilidade do homem com o meio social.


Morreu na sua quinta de Vale de Lobos (Santarém) a 13 de Setembro de 1877.


3.2. Outras Obras do(a) Autor(a)



1834 – “Qual é o Estado da Nossa Literatura?” (Repositório Literário, 1-2)

1835 – “Poesia. Imitação – Belo – Unidade” (Repositório Literário, 9-11)

1836 – A Voz do Profeta (1ª série)

1837 - A Voz do Profeta (2ª série)

Crónica de El-Rei Sebastião

1838 – A Harpa do Crente

O Fronteiro de África

1840 – Da Escola Politécnica e do Colégio dos Nobres

1842 – Cartas sobre a História de Portugal (Revista Universal Lisbonense)

Uma Sentença sobre Bens e Reguengos

1843 – O Bobo (n’O Panorama)

1844 – O Pároco de Aldeia

Eurico, o Presbítero

1845 – O Alcaide de Santarém

O Galego (Vida, Ditos e Feitos de Lázaro Tomé).

1846 – História de Portugal (1º vol.)

1847 – História de Portugal (2º vol.)

1848 – O Monge de Cister

1849 – História de Portugal (3º vol.)

1850 – Eu e o Clero e Solemnia Verba

Poesias

1851 – Lendas e Narrativas

A Ciência Arábico-académica

1853 – História de Portugal (4º vol.)

1854 – História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal (1º vol.)

1855 - História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal (2º vol.)

1857 – Do Estado dos Arquivos Eclesiásticos do Reino

A Reacção Ultramontana em Portugal

1858 – Do Estado das Classes Servas da Península

Ao Partido Liberal Português, a Associação Promotora da Educação do Sexo Feminino.

1860 – Análise da Sentença Nada no Juízo da 1ª Instância da Vila de Santarém


4. Conteúdo do Livro
4.1. Género Literário



Tendo vivido intimamente ligado ao movimento romântico, de que foi um dos mentores, a sua obra reflete intensamente as tendências gerais do romantismo.



4.2. Assunto (breve síntese)



O romance Eurico, o Presbítero, conta a triste história de amor entre Hermengarda e Eurico.
A história se passa no início do séc. VIII na Espanha Visigótica. Eurico e Teodomiro são amigos e lutam junto com Vitiza (imperador da Espanha) contra os montanheses rebeldes e contra francos, seus aliados.
Depois desse bem sucedido combate, Eurico pede ao Duque de Fávila a mão de sua filha, Hermengarda, em casamento. No entanto, Fávila ao saber da intenção de Eurico e, sabendo ainda que esse era um homem de origem humilde, recusa o pedido de Eurico. Certo de que sua amada também o repelia, o jovem entrega-se ao sacerdócio, sendo ordenado como o Presbítero de Cartéia.
A vida de Eurico então resume-se as suas funções religiosas e à composição de poemas e hinos religiosos, tarefas essas que ocupavam sua mente, afastando-se assim das lembranças de Hermengarda.
Essa rotina só é quebrada quando ele descobre que os árabes, liderados por Tarrique, invadem a Península Ibérica. Então Eurico toma para si a responsabilidade de combater o avanço árabe. Inicialmente, alerta seu amigo Teodomiro e, posteriormente, já diante da invasão, o Presbítero
de Cartéia transforma-se no enigmático Cavaleiro Negro.
Eurico, ou melhor, o Cavaleiro Negro luta de maneira heróica para defender o solo espanhol. Devido a seu ímpeto, ganha a admiração dos Godos e lhes dá força para combater os invasores.
Quando o domínio da batalha parece inclinar-se para os Godos, Sisibuto e Ebas, os filhos do Imperador Vitiza, traem o povo Godo com a intenção assumir o trono. Assim o domínio do combate volta a ser árabe. Logo em seguida Roderico, rei dos Godos, morre no campo de batalha e Teodomiro passa a liderar o povo.
Nesse meio tempo, os árabes atacam o Mosteiro da Virgem Dolosa e raptam Hermengarda. O Cavaleiro Negro e uns poucos guerreiros conseguem salvá-la quando o amir estava prestes a profaná-la.
Durante a fuga, Hermengarda, foi levada desmaiada às montanhas das Asturias, onde Pelágio, seu irmão, está refugiado. Nesse momento, essas montanhas são o único e verdadeiro refúgio da independência Goda, uma vez que, depois de uma luta terrível contra os árabes, Teodomiro aceita as vantajosas condições de paz que lhe são propostas: os campos da Bética, que lhe pertenciam, continuariam em seu poder.
Em segurança, na gruta Covadonga, Hermengarda depara-se com Eurico e, enfim, pode declarar seu amor. No entanto, Eurico sabe que esse amor jamais poderá se concretizar, devido as suas convicções religiosas. Então Eurico revela a ela que o Presbítero de Cartéia e o Cavaleiro Negro são a mesma pessoa. Ao sabe disso, Hermengarda perde a razão e Eurico, convicto e ciente das suas obrigações religiosas, parte para um combate suicida contra os árabes.






4.3. Citações favoritas (se necessário, explicadas no contexto)


— Vencedor dos Vascónios — gritou, rindo diabolicamente, o

conde de Septum —, olha por ti! Nas margens do Chrysus não há

taças de vinho, como aquela com que te embriagavas nos paços do

teu senhor. Aqui o que corre é sangue!



“Achamos arrepiante as palavras do conde de Septum em sua batalha com Juliano!”.





— Que olhas para o chão, traidor? — disse Teodemiro, com voz

trémula de cólera e de escárnio e segundando o golpe



"Frase interessante de Teodomiro, visto que nesta parte Juliano encontrava-se inconsciente, mas brevemente seria salvo por Mugueiz, muito boa essa parte".



4.4. Opinião sobre o livro

Achamos este livro muito interessante, um típico romance Romancista, com batalhas e temas religiosos. Alexandre Herculano se superou retratando bem gêneros do Romantismo. Um livro muito interessante, recomendamos a leitura.



Gabriel, Juliano, Lucas,Marcos, Paulo, Peterson e Renato S..
avatar
Paulon
Palavra
Palavra

Número de Mensagens : 16
Idade : 27
Localização : Brasil
Data de inscrição : 09/05/2007
Pontos : 3758

Folha de personagem
Guardião secular:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eurico, o Presbítero de Alexandre Herculano

Mensagem por nilse martinez em Sab 24 Nov 2007 - 13:13

Por favor, já podem avaliar! Obrigada.

nilse martinez
Professora

Número de Mensagens : 240
Idade : 60
Localização : Brasil
Data de inscrição : 04/05/2007
Pontos : 3941

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eurico, o Presbítero de Alexandre Herculano

Mensagem por Ana em Dom 25 Nov 2007 - 6:41

Gostei da vossa apresentação. A minha nota é 16.
avatar
Ana
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 561
Idade : 27
Data de inscrição : 19/09/2006
Pontos : 3990

Folha de personagem
Guardião secular:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eurico, o Presbítero de Alexandre Herculano

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum