Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

Diva- José de Alencar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Diva- José de Alencar

Mensagem por angélica em Sex 9 Maio 2008 - 8:19

Ficha de leitura


Antes de ler o livro1. Identificação do Livro





1.1. Título

Diva

1.2. Autor(a)

José de Alencar

1.3. Editora

Ática
1.4. Data da Edição
1995

2. Escolha do livro2.1. Motivos que levaram à escolha do livro

O livro foi escolhido por ser um clássico da literatura brasileira, um romance inusitado, é um clássico do consagrado autor José de Alencar e também por ser um livro que nós adoramos!Após a leitura do livro3. Contextualização do Autor3.1. Alguns dados biográficos


Vida



Nascido em Messejana, bairro da capital cearense, a família transfere-se para a capital do Império e José de Alencar, então com onze anos, foi matriculado no Colégio de Instrução Elementar. Em 1844, matriculou-se nos cursos preparatórios à Faculdade de Direito de São Paulo, começando o curso em 1846. Fundou, nessa época, a revista Ensaios Literários, onde publicou o artigo Questões de estilo. Formou-se em Direito, em 1850, e, em 1854, estreou como folhetinista no Correio Mercantil

3.2. Outras Obras do(a) Autor(a)

Senhora

Iracema Ubirajara

O tronco de Ipê

A pata da gazela

Lucíola

O guarani4. Conteúdo do Livro4.1. Género Literário

Romance

4.2. Assunto (breve síntese)

A história do doutor Augusto do Amaral com Emília começa quando ela tinha 14 anos, era muito magra e feia ,um botão de rosa a desabrochar.

Um dia amanheceu Emília febril e seu irmão Geraldo manda chamar doutor Amaral para examina-la, era necessário escutar-lhe o peito, mas a menina era rebelde e então por sugestão da tia, D. Leocádia, examinou-a enquanto dormia, porém Mila acordou exaltada e indignada pelo atrevimento daquele homem e deste acontecimento nasce na menina um ódio, uma indiferença em relação a este homem que a incomodava apenas pelo fato de existir.

Depois de três anos em Paris, á negócios, Doutor Amaral retorna ao Rio de Janeiro, vai visitar seu grande amigo, Sr. Duarte e surpreende-se ao ver sua filha, Emília agora tem 17 anos, estava crescida, bela, a mulher mais linda que já havia visto.

Na casa de D. Matilde aconteciam freqüentes reuniões onde estavam as damas e cavalheiros mais distintos da sociedade. Doutor Amaral se surpreendeu com o convite para casa da senhora pois sabia que lá encontraria Emília.

O baile estava esplendido e Emília, deslumbrava sua beleza por todo o salão, o doutor tinha medo da sua reação, mas precisava falar com a moça, ele o fez, pediu-lhe uma contradança, porém a moça com o tom seco e áspero negou-lhe, mas aceitou dançar com outro cavalheiro que a propôs. Para Amaral este ato foi uma grande humilhação. D. Matilde que viu a cena fez um aceno à sua filha Julinha, uma moça fina e educada, pediu-a que dançasse com o doutor e o fizesse esquecer as horas.

Depois daquela noite, continuou o doutor a freqüentar a casa de D. Matilde, onde constantemente recebia alfinetadas de Emília que não perdia a ocasião de feri-lo o coração.

Em uma noite de reunião serviu chocolate e Emília fez um gesto ao criado que não a viu e seguiu então o Doutor Amaral apressou-se para pegar a bandeja para servi-la, então Mila pegou a xícara em sua mão e ele retirou a bandeja e a fragilidade com que a moça segurava fez com que caísse todo o chocolate na saia de seu vestido, Mila imediatamente lançou um olhar de ódio contra Doutor Amaral que se culpou pelo ocorrido.

Outro dia quando o doutor a reencontrou, na casa de sua tia, pediu-lhe desculpas mas a moça o tratou com muita indiferença e só então percebeu que havia sido proposital.

Quando ele chegava em lugares que ela estava, ela logo se retirava,aquelas atitudes magoava-o profundamente, o fazia sentir o pior dos homens, pelas constantes humilhações aquele amor o estava fazendo sofrer muito.

Depois de algum tempo em um almoço na casa do Sr. Duarte Emília pediu perdão ao Doutor Amaral, disse ter arrependido-se de o fazer sofrer e de ter tanto maltratado-o. Essa atitude de Mila deu-se por uma carta que sua tia mostrou-lhe revelando que no período em que estava doente, Doutor Amaral mostrou grande preocupação com a saúde dela e isso a comoveu. Depois do almoço foram passear pelo sítio, conversaram bastante e Emília propôs que fossem amigos.

Passaram-se 2 meses de uma suave amizade, quando em uma noite saíram para passear e no meio de suas conversar o doutor perguntou-lhe se ela o amava, ele tinha certeza que ela diria que sim, pois ele havia confessado seu amor e esperava receber igual sentimento, porém Emília disse não, disse ter medo de amar e que talvez viesse a amá-lo, mais ainda não sabia quando. Ela não sabia, mas já amava-o intensamente.

Depois de confessar o seu amor a Emília, ela parecia as vezes despreza-lo, pois tratava-o com muita indiferença, e em um certo instante disse não querer mais que ele a amasse, ela o evitava. Estavam eles a viver por entre jogos e frases de amor que quase sempre feriam ambos os sentimentos, Emília era inconstante e o doutor não sabia como entende-la então, cansado de seus desprezos, disse a ela não a desejar mais, e ela não se importou.

Passaram-se dias, então ele a reencontrou, foi como ver a luz do sol na escuridão, e inevitavelmente voltou a dizer-lhe o quanto a amava, mas novamente caprichosa, ela o negou, e ele se enfureceu com tal atitude que no mesmo instante disse desejar nunca mais voltar a vê-la, estavam no jardim e antes que ele saísse pelo portão Mila gritou: “Eu te amo Augusto!”, no momento em que ela viu e teve certeza que perderia-o para sempre sentiu grande necessidade de não perde-lo nunca e Augusto a teve ajoelhada diante de ti suplicando seu amor e seu perdão. Augusto a tomou em seus braços e viveram felizes para sempre...





4.3. Citações favoritas (se necessário, explicadas no contexto)

“Ela representava para mim, além do amor, o espinho que me feria a alma apaixonada”





Esta citação revela a forma como Amaral se sentia em relação ao amor que tinha por Emília, ou seja,ela o humilhava e o desprezava,essa atitude feria-o.



4.4. Opinião sobre o livro

este livro foi um dos maiores romances de José de Alencar, no qual ele exaltou a perfeição do final feliz, sendo escrito no período do romantismo onde tudo era lindo. Este livro conta uma história pouco comum na atualidade pois as pessoas falam dos sentimentos de formas diferentes.















Nomes:Angélica Mello

Kátia Arantes

angélica
Frase complexa
Frase complexa

Número de Mensagens : 30
Idade : 26
Localização : Estrada do Nagao km 10
Data de inscrição : 29/02/2008
Pontos : 3517

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diva- José de Alencar

Mensagem por Rute em Dom 11 Maio 2008 - 14:00

15;)
avatar
Rute
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 741
Idade : 28
Localização : Setubal - Portugal
Data de inscrição : 24/09/2006
Pontos : 4052

Folha de personagem
Guardião secular: Alexandria

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum