Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Clarice lispector

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Leitor Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Clarice lispector

Mensagem por Lais em Ter 23 Set 2008 - 17:57


1. Identificação do Livro

1.1. Título:
Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres
1.2. Autor(a):
Clarice Lispector
1.3. Editora:
Rocco
1.4. Data da Edição:
1998


2. Escolha do livro

2.1. Motivos que levaram à escolha do livro


Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres nos
fornece pistas de como vivenciar a idéia de amor. Na obra, Clarice
Lispector parte do discurso mítico amoroso mais banal para operar uma
reestruturação. O caminho escolhido é o da paródia. Os dois títulos do
livro, aproximados pela conjunção, anunciam a tensão entre duas
possibilidades: repetir ou inventar.



3. Contextualização do Autor

3.1. Alguns dados biográficos

Clarice Lispector nasceu na Ucrânia, numa aldeia de nome complicado: Tchetchenillk, no ano de 1920. Os Lispector emigraram da Rússia para o Brasil no ano seguinte, e Clarice nunca mais voltou á pequena aldeia. Fixaram-se em Recife, onde a escritora passou a infância. Clarice tinha 12 anos e já era órfã de mãe quando a família mudou-se para o Rio de Janeiro. Entre muitas leituras, ingressou no curso de direito, formou-se e começou a colaborar em jornais cariocas. Casou-se com um colega de faculdade em 1943.
No ano seguinte publicava sua primeira obra: Perto do coração selvagem. A moça de 19 anos assistiu à perplexidade dos leitores e da crítica: quem era aquela jovem que escrevia "tão diferente?" Seguindo o marido, diplomata de carreira, viveu fora do Brasil por quinze anos. Dedicava-se exclusivamente a escrever. Separada do marido e de volta ao Brasil, passou a morar no Rio de Janeiro. Em 1976 foi convidada para representar o Brasil no Congresso Mundial de Bruxaria, na Colômbia. Claro que aceitou: afinal, sempre fora mística, supersticiosa, curiosa a respeito do sobrenatural. Em novembro de 1977 soube que sofria de câncer generalizado. No mês seguinte, na véspera de seu aniversário, morria em plena atividade literária e gozando do prestígio de ser uma das mais importantes vozes da literatura brasileira.


3.2. Outras Obras do(a) Autor(a)

- A Cidade Sitiada
- A Mulher Que Matro Os Peixes
- A Paixão Segundo G.H.
- O Lustre
- Perto do Coração Selvagem
- Um Sopro de Vida
avatar
Lais
Texto
Texto

Número de Mensagens : 92
Idade : 26
Localização : Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 3599

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Clarice lispector

Mensagem por Lais em Ter 23 Set 2008 - 18:02

[black]
4. Conteúdo do Livro

4.1. Género Literário: Romance

4.2. Assunto (breve síntese)[/b]
Narrado em terceira pessoa, Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres nos fornece pistas de como vivenciar a idéia de amor. Na obra, Clarice Lispector parte do discurso mítico amoroso mais banal para operar uma reestruturação. O caminho escolhido é o da paródia. Os dois títulos do livro, aproximados pela conjunção, anunciam a tensão entre duas possibilidades: repetir ou inventar.


A evolução da personagem feminina desse romance é plasmada pela transformação do discurso que, iniciado na intencional duplicação do lugar-comum, logra no decorrer da história alçar-se a outros sentidos. Sugere possibilidade alternativa de ser vivida uma relação amorosa. Ao longo da escrita, ocorre algo como uma purgação de tudo aquilo em que a literatura de massa está viciada ao tratar do tema.


Não é uma história de amor comum. Logo na primeira página do livro, sabemos que Lóri mantém um relacionamento com Ulisses (tendo um encontro com ele, busca entre as suas roupas um vestido para ficar "atraente"). As características deste relacionamento vão sendo desvendadas ao longo da narrativa. Ulisses é professor


universitário de filosofia. Aos poucos vamos sabendo que Lóri está "aprendendo a amar", ou a "ter prazer", com Ulisses. São vários os momentos narrativos em que isto fica explícito: ela está sendo "preparada para a liberdade por Ulisses", "Ulisses determinará quando ela estará pronta para dormir com ele".


Lispector não reproduz padrões tradicionais de oposição masculino/feminino. Ao processar investigação existencial a partir da condição de seu gênero, acaba por estabelecer articulações ainda mais abrangentes que a da diferenciação sexual.
A aprendizagem de que nos fala o título é o caminho que percorre Lóri enquanto dura a narrativa. Este processo terá sua conclusão quando Lóri estiver "pronta" para dormir com Ulisses. Não se pense que este "pronta" significa uma virgem preparando-se para seu primeiro amor. Lóri já teve outros amantes, que ela desqualifica, não como amantes, mas como relacionamentos inconsistentes ou superficiais. Trata-se de, com Ulisses, aprender ou descobrir o prazer para além do meramente sexual: algo como um amor total, com a personagem sentindo-se "plena". Esta é a travessia do livro, a trajetória a ser percorrida pela personagem. Em meio a este percurso, Lóri tem que se haver com inseguranças, medos, hesitações, encontros e desencontros com Ulisses: é a angústia d busca. Trata-se de uma busca que, a esta altura, não se resume apenas no ato de "dormir" com Ulisses. Lóri pretende dar um "passo à frente" na sua vida. O relacionamento com Ulisses, cujo ápice se dará quando estiver "pronta", recobre-se de um significado especial, uma "plenitude". Depois de vários encontros nos quais conversavam sobre a "aprendizagem" de Lóri, Ulisses diz a ela, num dado momento que, a partir daquele momento, não mais a procurará. Ela está "pronta". Ela sabe os seus horários de aulas, sabe os momentos em que ele estará em casa. Ulisses diz que vai esperá-la, querendo que ela não telefone avisando: "Queria que você, sem uma palavra, apenas viesse". A decisão de Ulisses causou um primeiro impacto em Lóri, que hesitou, demorou, mas numa madrugada chuvosa, estando "mansamente feliz", teve o desejo: imediatamente, sem sequer trocar a roupa, apanhou um táxi, vestida com uma camisola, e foi até a casa de Ulisses. Amaram-se. Falam em filhos e casamento. Segue-se um diálogo no qual Lóri e Ulisses conversam sobre o amor, sexo, solidão, Deus e a obra termina com a frase em letras itálicas acima.




4.3. Citações favoritas (se necessário, explicadas no contexto)

A obra apresenta um narrador em terceira pessoa e tem como personagem principal uma mulher, cujo nome é Loreley, mas é chamada de Lóri. Lóri é de família de posses, de origem agrária. Vive no Rio de Janeiro, separada da família, sozinha, trabalhando como professora primária. Para manter um padrão de vida acima das possibilidades de uma professora, Lóri recebe mesada do pai.


Vejamos o começo da obra:


",estando tão ocupada, viera das compras de casa que a empregada fizera às pressas porque cada vez mais matava o serviço, embora só viesse para deixar almoço e jantar prontos(...)"


Este início, com uma vírgula antes de qualquer palavra, e, na seqüência, um período longo, aparentemente incompleto, sem "começo", faz parte da estrutura formal da obra e demonstra um dos traços dominantes na obra de Clarice Lispector: a preocupação com a escrita, com as possibilidades de as palavras representarem (ou não) as sensações, as percepções, enfim, a condição humana. No livro em estudo, este início fragmentado pode ser interpretado da seguinte maneira: a narrativa apanha um determinado momento da personagem Lóri. Ou seja, o livro fala sobre Lóri a partir daquele momento em que ela estava ocupada, pensou na empregada, etc. O que veio antes daquele momento, disto a narrativa não se ocupa. O ponto de partida é aqui: , estando ocupada... Assim, este livro capta um momento de Lóri, nem antes, nem depois. A representação parcial da vida de Lóri, dá-se, no plano da escrita, por uma parcialidade formal: o romance começa com uma vírgula e termina com dois pontos. Aqui está o final do livro:


-Eu penso, interrompeu o homem e sua voz estava lenta e abafada porque ele estava sofrendo de vida e de amor.


Posta nestes termos, a narrativa dá a idéia de continuidade: Lóri, sua vida, seu mundo, existiam antes e existirão depois do livro.[b]

4.4. Opinião sobre o livro

Este livro que se pediu uma liberdade ao amor, é a narrativa de uma iniciação e um extraordinário hino ao amor.
O livro uma aprendizagem, ou o livro dos prazeres, é uma viagem delicada do sentimento feminino e da existência humana rumo a perfeição da alma.
Sem dúvida é um dos livros mais originais e bem escritos da literatura brasileira, aborda de maneira sensível e bastante tocante, todo o processo de preparação do ser humano para um evento que hoje já se tornou sutil e banal, a preparação para o ato sexual com o verdadeiro amor.





Grupo:Camilla, Laís e Micaela.
avatar
Lais
Texto
Texto

Número de Mensagens : 92
Idade : 26
Localização : Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 3599

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Clarice lispector

Mensagem por Rute em Sab 4 Out 2008 - 6:49

15
avatar
Rute
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 741
Idade : 28
Localização : Setubal - Portugal
Data de inscrição : 24/09/2006
Pontos : 4110

Folha de personagem
Guardião secular: Alexandria

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - Clarice lispector

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum