Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

Jorge Amado - "Mar Morto"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Leitor Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por JoanaSantos em Dom 2 Nov 2008 - 14:38




Antes de ler o livro

1.Identificação do Livro
1.1. Título:
Mar Morto

1.2. Autor:
Jorge Amado

1.3. Editora:

Dom Quixote

1.4. Data da Edição:
Julho de 2002


2.Escolha do livro
2.1. Motivos que levaram à escolha do livro

Os motivos que me levaram à escolha deste livro foram: o seu título, que me despertou interesse, e ainda o facto de o seu autor ser Jorge Amado, reconhecido pela sua maneira de escrever tão característica, que fiquei a conhecer a partir de outro livro de sua autoria, “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”. Este é um dos muitos romances da lista de Jorge Amado, considerado um verdadeiro poema em prosa.


Última edição por Ju Santos em Sab 20 Dez 2008 - 10:18, editado 2 vez(es)

JoanaSantos
Texto
Texto

Número de Mensagens : 76
Idade : 24
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 28/10/2008
Pontos : 3645

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por Salomé Raposo em Dom 2 Nov 2008 - 17:18

Muito bem, Joana.
Registei.
Boa leitura...

Salomé Raposo
Professora

Número de Mensagens : 86
Idade : 46
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 26/09/2008
Pontos : 3384

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por Inês Cruz em Ter 2 Dez 2008 - 16:38

cherry muito bem joaninha ^_^ espero que gostes

|
|
|
v "Walt Disney" I love you
avatar
Inês Cruz
Frase complexa
Frase complexa

Número de Mensagens : 38
Idade : 24
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 28/10/2008
Pontos : 3505

Folha de personagem
Guardião secular:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Após a leitura do Livro - "Mar Morto"

Mensagem por JoanaSantos em Sab 13 Dez 2008 - 10:32

Após a leitura do livro
3.Contextualização do Autor

3.1. Alguns dados biográficos
Jorge Amado de Faria nasceu no dia 10 de Agosto de 1912, na fazenda Auricídia, em Ferradas, distrito de Itabuna – Bahia.Filho de João Amado de Faria e de D. Eulália Leal.
Foi jornalista, romancista e memorialista, viveu exclusivamente dos direitos de autoria dos seus livros. Recebeu no estrangeiro inúmeros prémios.
As suas obras literárias tiveram inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão. Os seus livros foram traduzidos em 55 países e em 49 idiomas.
Desde cedo se interessou pela escrita, tendo participado em actividades jornalísticas.
O conhecimento adquirido, aquando a sua juventude, da vida popular marcou fundamentalmente a sua obra de romancista.
Fez os estudos universitários no Rio de Janeiro, na Faculdade de Direito, não tendo, no entanto, exercido a advocacia.
Em 1945, foi eleito deputado federal pelo Estado de São Paulo, tendo participado na Assembleia Constituinte de 1946 (pelo Partido Comunista Brasileiro) e da primeira Câmara Federal após o Estado Novo, sendo responsável por várias leis que beneficiaram a cultura. Viveu exilado na Argentina, no Uruguai, em Paris e em Praga.
Foi membro correspondente da Academia de Ciências e Letras da República Democrática da Alemanha; da Academia das Ciências de Lisboa; da Academia Paulista de Letras; e membro especial da Academia de Letras da Bahia.
Em 1995 iniciou-se o processo de revisão de sua obra por sua filha Paloma e os seus livros ganharam novo projecto gráfico.
Faleceu no dia 6 de Agosto de 2001 em Salvador, Bahia.

3.2. Outras Obras do(a) Autor(a)
Algumas obras de sua autoria:


- O País do Carnaval, 1931
- Cacau, 1933
- Suor, 1934
- Jubiabá, 1935
- Mar Morto, 1936
- Capitães da Areia, 1936
- Terras do Sem Fim, 1943
- São Jorge dos Ilhéus, 1944
- Seara Vermelha, 1946
- Os Subterrâneos da Liberdade, 1954
- Gabriela, Cravo e Canela (crónica de uma cidade do interior), 1958
- Os Pastores da Noite, 1964
- Dona Flor e Seus Dois Maridos, 1966
- Tenda dos Milagres, 1969
- Teresa Batista Cansada da Guerra, 1972
- Tieta do Agreste, 1977
- Farda Fardão Camisola de Dormir, 1979
- Tocaia Grande: a face obscura, 1984
- O Sumiço da Santa: uma história de feitiçaria, 1988

- A descoberta da América pelos turcos, 1994
- O Compadre de Ogum, 1995
- O milagre dos pássaros, 1997.

Literatura Infanto-Juvenil:
- O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, 1976
- A Bola e o Goleiro, 1984
- O Capeta Carybé, 1986.


Poesia:
- A Estrada do Mar, 1938.

4. Conteúdo do Livro
4.1. Género Literário: Romance

4.2. Assunto (breve síntese)


“Mar Morto” pertence à primeira fase do autor: depoimentos líricos, com ênfase para o sentimental.
Esta história passa-se no cais da Bahia.
É referida a diferença do mundo dos marinheiros e o dos habitantes em plena cidade.
Para os marinheiros, o mar é a sua vida, e sabem (e esperam) que este seja o local da sua morte. Têm crença em Iemenjá, a deusa dos mares e saveiros, que habita nas águas profundas do mar, é ela quem comanda as tempestades, quem decide o inevitável destino de cada marinheiro, a ela cabe a decisão da morte. Os marinheiros acreditam que após o fim da sua vida se irão encontrar com ela, era o quem mais ansiavam; Foi numa das festas em nome desta deusa, que Guma viu pela primeira vez Lívia (personagens principais).
Guma com apenas 11 anos já velejava um saveiro, fora ensinado por seu tio paterno (Francisco - conta a história que fora o único que vira Iemenjá em vida), sob o qual ficou a cargo desde a sua infância. O seu pai morrera durante uma tempestade, e apenas aos 11 anos conheceu sua mãe.
Guma adorava as histórias de marinheiros que mereciam o reconhecimento por todos; ele próprio ganhou bastante fama após ter salvado um navio, no qual viajavam parentes da sua amada, acto que lhe valeu o facto de conhecer LÍvia; acabariam por casar.
Lívia engravida; Numa noite sente-se mal e quase perde seu filho, Guma chama o auxílio do médico (em quem todos os marinheiros confiavam) e Esmeralda - mulher do seu grande amigo, que se insinuava perante ele e que tinha como objectivo conquistá-lo.
Acabou por trair Lívia e o seu amigo nessa noite com ela; Guma quase matou Lívia após o sucedido, sentia vergonha pelo que tinha feito.
Mais tarde, seu amigo Rufino descobre que Esmeralda o traí com um marinheiro, acaba por matá-la e dar termo à sua própria vida.
Guma tem um grave acidente, e o seu saveiro fica destruído; com a vida difícil e a passar por dificuldades emprega-se numa rede de contrabando com o intuído de comprar um novo saveiro e dar melhores condições de vida à sua mulher, filho (Frederico) e o seu tio. Numa dessas noites de entregas ocorre um naufrágio, Guma consegue salvar duas pessoas, mas acaba por morrer.Lívia, e pessoas de confiança do casal, partem em sua busca, porém, em vão, uma vez que seu corpo nunca foi encontrado.

A partir desse dia as águas do mar tornaram-se calmas e mortas.
Da janela da escola, a professora Dulce - que ensina os mais novo, futuros marinheiros, apenas pelo tempo suficiente de aprenderem a ler e a escrever, para que depois se dediquem a tempo inteiro ao mar - observa Rosa Palmeirão (respeitada por todos no cais e que outrora fora companheira de Guma e que o tratou como o filho que nunca teve) e Lívia a velejar o navio deixado por Guma; Nesse momento Franciso grita para os outros no cais ao ver Lívia, a mulher forte em que se tornara, que era Iemenjá; era a segunda vez que ele a via.


4.3. Citações favoritas (se necessário, explicadas no contexto)
"É doce morrer no mar" – letra de uma das músicas que se ouve junto ao cais, que retrata os ideias dos marinheiros, o mar era a sua vida, e seria (também) a sua morte. Acreditavam ainda, que após a sua morte, iriam ao encontro de Iemenjá (a deusa dos mares, mulher de todos os marinheiros).

"Desgraça é a mulher que casa com um homem do mar, seu destino será infeliz" – Outra letra de uma música. Era difícil ser mulher de um marinheiro, pois vivia-se com o coração nas mãos com medo de que um dia não regressem mais, e que o caloroso abraço aquando o seu reencontro, simplesmente, não aconteça.

"Vejam! Vejam! É Janaína" ("Janíana" é outro nome pela qual Iemenjá é conhecida) – Foi a reacção de Francisco ao ver Lívia em pé no saveiro. Tinha-se tornado forte e enfrentava agora a vida marítima, a qual ao início não conseguia entender, pois para ela o mar era o destino fatal de todos os marinheiros, que tinha pleno controlo na vida e morte. Contava-se na beira do cais que fora a segunda vez que Francisco vira Iemenjá em vida.


4.4. Opinião sobre o livro

Gostei de ler este livro. Retrata um ambiente náutico, as crenças, os medos, as ambições, os amores, os costumes, em suma a vida de todos os marinheiros, e de todos aqueles que viam no mar a sua razão de viver.
É constatado o amor dos marinheiros pelo mar e o amor entre homem e mulher. O receio por parte das mulheres da vida dos seus homens, que era constantemente ameaçada, e a ambição por parte dos marinheiros em ser reconhecidos por mortes gloriosas, e que seriam recompensadas com o encontro nas profundezas das água com Iemenjá.
_____________________________________________________________________

Boas LEITURAS!

FONTES

x
http://www.releituras.com/jorgeamado_bio.asp
x
x E o próprio livro do autor: "Mar Morto"



Última edição por JoanaSantos em Dom 25 Jan 2009 - 10:54, editado 7 vez(es)

JoanaSantos
Texto
Texto

Número de Mensagens : 76
Idade : 24
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 28/10/2008
Pontos : 3645

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por Vanessa Carvalho em Dom 14 Dez 2008 - 11:57

Ah! Isto é o livro em que foi baseada a telenovela "Como uma onda no mar" x'DD reconheci logo x')

Vanessa Carvalho
Letra
Letra

Número de Mensagens : 6
Idade : 25
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 28/10/2008
Pontos : 3334

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por JoanaSantos em Qua 17 Dez 2008 - 13:36

Pensei que baseado neste livro de Jorge Amado fosse a novela "Porto dos Milagres", dessa que referiste não tinha conhecimento Wink.

JoanaSantos
Texto
Texto

Número de Mensagens : 76
Idade : 24
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 28/10/2008
Pontos : 3645

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por Vanessa Carvalho em Qui 18 Dez 2008 - 14:49

ham ou era isso...agora confundi-me xD, pronto, mas a música do genérico era "como uma onda no mar", deve ter sido essa a minha confusão xD

Vanessa Carvalho
Letra
Letra

Número de Mensagens : 6
Idade : 25
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 28/10/2008
Pontos : 3334

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por Salomé Raposo em Qua 4 Fev 2009 - 16:07

Joana, muito bem.

17 valores

Salomé Raposo
Professora

Número de Mensagens : 86
Idade : 46
Localização : Setúbal
Data de inscrição : 26/09/2008
Pontos : 3384

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitor Re: Jorge Amado - "Mar Morto"

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum