Vertentes
Seja bem vindo ao fórum Vertentes.

Pode usar o Facebook no seu "login".

O Egípcio - Mika Watari.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Egípcio - Mika Watari.

Mensagem por Deivid em Dom 23 Nov 2008 - 15:14

1. Identificação do livro.




1.1 Título: O Egípcio
1.2 Autor: Mika Waltari
1.3 Editora: Gráfica Editora Brasileira Ltda
1.4 Data de edição: 1949

2 - Escolha do Livro

2.1: Motivos que levaram à escolha do livro:
Escolhi esse livro por que, depois da saga Harry Potter, esse é sem dúvidas nenhuma o melhor livro que eu já li. Trata-se de uma história fascinante, sobre o Egito Antigo. O enredo da história é empolgante, faz o leitor não querer parar de ler, e é riquíssimo em detalhes, mesmo que o autor não tenha vivido a mais de 1000 anos a.C, o cenário e o modo de viver dos egípcios são descritos com perfeição. É sem dúvidas um livro que merce ser lido por todos, garanto que não vão se arrepender.

3 - Contextualização do autor.

3.1 Alguns dados biográficos:






Biografia do autor

Mika Waltari.
Waltari nasceu em Helsinki, capital da Finlândia e perdeu seu pai, um pastor luterano, quando tinha 5 anos. Na sua infância, presenciou a Guerra Civil Finlandesa na cidade. Na juventude, entrou na Universidade de Helsinki para estudar teologia, de acordo com os desejos da mãe, mas logo abandonou a teologia pela filosofia e literatura, graduando-se em 1929.
Enquanto estudava, contribuía para artigos em revistas e escrevia poesias e contos, sendo seu primeiro livro publicado em 1925.
Em 1927 foi para Parais onde escreveu um de seus maiores romances, "A grande ilusão", uma história de vida boêmia. Esta obra, em termos de estilo, é considerada o equivalente finlandês de trabalhos de escritores norte-americanos da Geração Perdida.
Waltari também foi membro de um movimento liberal de literatura chamado Tulenkantajat, até que sua visão política e social mudou mais tarde para ultra-conservadora. Casou em 1931 e teve uma filha, Satu, que também se tornou escritora.
Durante as décadas de 1930 e 1940, Waltari trabalhou bastante como a jornalista e crítico, escrevendo por um grande número de jornais e revistas e viajando por toda a Europa. Também foi diretor da revista "Suomen Kuvalehti".
Ao mesmo tempo, continuou escrevendo livros de vários gêneros, movendo-se facilmente de um estilo literário para outro.
Em 1945 foi publicada o seu primeiro e mais bem sucedido romance histórico, "O egípcio", que falava sobre a corrupção e valores humanos num mundo materialista justamente depois da Segunda Guerra Mundial. O livro se tornou um best-seller internacional, servindo de base para um filme de Hollywood do mesmo nome.
Waltari escreveu outras sete obras históricas, ambientadas em várias culturas antias, como por exemplo "The dark angel", ambientada durante a queda de Constantinopla em 1453 e provavelmente sua melhor obra.
Nestas obras, Waltari dava bastante destaque ao seu pessimismo e também em duas histórias ambientadas no Império Romano, à sua convicção cristã. Ele se tornou membro da Academia Finlandesa em 1957 e recebeu título de doutor honorável em 1970 pela Universidade de Turku.
Waltari foi um dos mais prolíficos escritores da Finlândia. Foi o mais conhecido escritor finlandês e seus trabalhos foram traduzidos para mais de 40 idiomas.


3.2 Outras obras do autor:
O Etrusco (1955)
O Anjo Negro (1952)
O Aventureiro (1948)
O Egípcio (1945)
O Renegado (1949)
O Romano (1964)
O Segredo do Reino (1959)
avatar
Deivid
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 617
Idade : 26
Localização : Mogi das cruzes - Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 4642

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Egípcio - Mika Watari.

Mensagem por Deivid em Dom 23 Nov 2008 - 16:05

4 - Coneteúdo do livro.

4.1 Gênero Literário: Romance
4.2 Assunto (breve síntese):


O livro narra uma história que acontece no antigo Egito. O personagem principal, que por acaso também é o narrador, é um médico chamado Sinuhe. Ele fora jogado Nilo abaixo e foi adotado por Kipa e Senmut, um casal estéril, que viu na chegada de Sinuhe uma oportunidade para terem o tão sonhado filho. Fora a mãe, Kipa, quem lhe dera o nome, por causa de um personagem aventureiro que ela gostava, e no Egito há quem acredite que o nome é um agouro, talvez tenha sido por isso que Sinuhe entrou em tamanha aventura. Ele foi educado na Casa da Vida para ser médico, lá a mais linda das mulehres, Nefer-Nefer-Nefer (que significa três vezes bela) tenta seduzi-lo e ele torna-se o único jovem que resistir a ela, tudo para poder se tornar sacerdote (já que no Egito o médico cuida do corpo e da alma). Ele se forma, vira um famoso médico e começa a clinicar, chegando a tratar até mesmo de um faraó, que infelizmente acabou morrendo. A partir de então recebera o sobrenome de “solitário”

Mas depois de se formar, reencontra Nefer-Nefer-Nefer, que o aconselha a esquecê-la. Ele porém ignora, e faz de tudo para ficar com ela. Ela sempre fora acostumada a usar os homens, e foi isso o que ela fez com Sinuhe. Fez ele gastar todo o seu dinheiro, fez ele passar a casa dos pais dele para ela, e o pior, fez ele passar a tumba dos pais dele para ela, e para piorar a situação, o pai dele morre.

Isso pesou em sua consciência. Caiu na bebida, tornou-se um indigente. Mas se recuperou, voltou a clinicar, a ganhar dinheiro e credibilidade. Então tramou sua vingança. Sorveu um veneno fraco para ela tomar, e mandou-a para a casa da morte, onde seria embalsamada, ainda viva (logicamente, sem o conhecimento dos embalsamadores). Mas eles demoram, ela acorda, seduz eles e levam tudo o que eles tinham, sai mais rica do que entrara.

Sem saber disso, Sinuhe parte numa viagem ao redor do mundo, encontra Kaptah, que vira seu escravo e fiel amigo. Acaba conhecendo Minéia, o grande amor de sua vida. Mas ela estava prometida ao deus Minotauro. As escolhidas a ver o deus nunca mais queriam voltar, mas Minéia prometera voltar pra Sinuhe depois que se encontrasse com o deus Minotauro. Porém, o tempo passava e nem sinal dela aparecer. Então Sinuhe entra na mansão escura e descobre que o deus estava morto, e que um sacerdote, não querendo que a notícia se espalhasse, matava todas as donzelas que entravam no recinto, e esse foi o trágico fim de Minéia.

Sinuhe vira espião egípcio, e no Egito acontece uma guerra santa entre os deuses Amon e Aton. Para a paz do Egito o faraó Akhnaton teria que morrer, e Sinuhe foi obrigado a mata-lo com veneno. Tudo por que Eie e Horemheb queriam. Eie queria ser faraó, Horemheb queria guerra. Tutankhamon assumiu, e liberou a guerra, mas quando a guerra acabou, morreu subitamente, e Eie assumiu o trono. Depois Horemheb casou-se com a princesa Baketamon e com a morte de Eie, se tornou faraó. Mas ela não o amava, então o traiu com toda Tebas, literalmente falando. Sinuhe porém começou a falar mal dos guerreiros, e a defender o deus Aton, que já havia perdido a guerra santa. Sinuhe começou a falar demais, Horemheb podia matá-lo, mas por amizade, resolveu apenas exilá-lonuma praia deserta, onde teria todos os suprimentos necessários para sua sobrevivência, porém viveria sozinho lá pelo resto de sua vida., como dizia seu sobrenome. E foi lá que ele escreveu suas memórias em um livro.



em andamento....
avatar
Deivid
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 617
Idade : 26
Localização : Mogi das cruzes - Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 4642

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Egípcio - Mika Watari.

Mensagem por Deivid em Seg 24 Nov 2008 - 16:19

4.3 Citações:


“O meu nome foi outrora escrito no livro de ouro do faraó e sempre permaneci à sua destra Minhas palavras contrabalançavam as dos poderosos na terra de Kan; nobres me enviavam dádivas, e correntes de ouro pendiam do meu pescoço. Possuí tudo quanto um homem pode desejar, mas como todo homem, desejei mais – e por conseguinte fiquei reduzido ao que pra sou. Fui banido de Tebas no sexto ano do reinado do faro Horemheb, ameaçado a ser batido até a morte como um cão, se voltasse... de ser esmagado entre pedras como uma rã se desse um passo sequer fora da área estabelecida como lugar de residência. E isso por ordem do rei, do faraó que outrora fora meu amigo.”



Por incrível que pareça, essa é apenas a segunda página do livro. Mas o livro começa com as memórias de Sinuhe em seu exílio, a partir de então ele começa a contar toda a sua história de vida.



“ Sinuhe, meu filho, queres ser um médico ainda mais capacitado do que eu?... Senhor da vida e da morte, a quem todos, proeminente ou humildes, possam confiar suas vidas?”



O pai de Sinuhe quer saber se o garoto deseja mesmo seguir os passos do pai, tendo ainda mais sucesso do que ele. Para isso era necessário que Sinuhe entrasse na casa da vida para fazer seu “curso”.



“ _ Perfeitamente, bela desconhecida! Vou chamá-lo agora. Dizei que uma mulher mais jovem e mais bela que a lua o está chamando. E ele logo saberá quem é, pois quem quer que te haja visto uma vez não poderá te esquecer nunca.”



Nesse trecho Sinuhe demonstra, inconscientemente sua admiração pela bela NeferNeferNefer. Mulher que acabaria por desgraçar a sua vida.



“Fui depressa a casa dos meus pais onde encontrei as portas arrombadas e carimbos em cima de tudo quanto havia lá dentro. Os vizinhos se tinham aglomerado no jardim, em silêncio total. Nos quartos dos fundos jaziam sobre a acama Senmut e Kipa, com os semblantes com a mesma cor de quando eram vivos. E no chão fumegava ainda um brazeiro cuja fumaça os havia sufocado...”



Nessa parte Sinuhe encontra os pais mortos, por suicídio, ao saberem que o filho vendera a casa e a tumba deles, deixando-os sem nada. Mesmo assim, deixaram uma carta perdoando e abençoando o amado filho, fato que deixou Sinuhe com a consciência mais pesada ainda.



“Louco de desespero, gritei o nome de Minéia, despertando ecos na caverna, até que Kaptah apontou para a rocha sobre o quê nos quedáramos. Estava manchada com sangue seco. Seguindo a mancha até a beira da água, meus olhos deram com o corpo de Minéia, ou o que dele sobrara Movia-se vagarosamente lá no fundo, arrastado por carangueikos que o estraçalhavam furiosamente. Já não tinha mais rosto e a reconheci somente pela rede de prata nos cabelos. Não precisei olhar à procura da cutilada do Minotauro em seu busto, pois logo percebi que ele( o sacerdote) a seguira até ali, dera o golpe por detrás e a arremessara na água, já que ninguém devia saber que o deus de Creta havia morrido”



Sinuhe não aguentara a espera, e entrara na mansão. Lá primeiro encontrou o cadáver do deus Minotauro, depois o cadáver de sua amada Minéia, que fora assassinada pelo sacerdote, para que ninguém soubesse que o deus de Creta havia morrido



4.4 Opinião sobre o livro:


como já disse anteriormente esse livro é o melhor que já li, depois da saga Harry Potter. É um livro muito antigo, e longo, tem mais de 650 páginas. É riquíssimo em detalhes, e infelizmente não deu para passar todos esses detalhes para vocês, senão a breve síntese do livro pareceria tudo, menos uma breve síntese propriamente dita. Para saber de todos os detalhes, só lendo essa magnífica obra mesmo, que traz a tona a vida no antigo Egito, e nas dificuldades passada pelo personagem principal Sinuhe, que mesmo sendo médico dos faraós, perdeu quase tudo e todos que tinha, a vida de um egípcio que viveu sozinho todos os dias de sua vida.







por Deivid

e Sérgio.
avatar
Deivid
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 617
Idade : 26
Localização : Mogi das cruzes - Brasil
Data de inscrição : 22/02/2008
Pontos : 4642

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Egípcio - Mika Watari.

Mensagem por Rute em Qua 26 Nov 2008 - 15:12

17

=)

Adoro livros sobre o egipto.
Ainda n li esse ='/
avatar
Rute
Trilogia
Trilogia

Número de Mensagens : 741
Idade : 28
Localização : Setubal - Portugal
Data de inscrição : 24/09/2006
Pontos : 4028

Folha de personagem
Guardião secular: Alexandria

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Egípcio - Mika Watari.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum